Home > Section Overview > Como o Cérebro Funciona de Forma Diferente
 
 

Mito / Escassez de cuidados maternos e paternos causa esquizofrenia.
Fato / Os psiquiatras, desde Sigmund Freud, têm considerado o ambiente familiar como o fator chave no desenvolvimento da personalidade. Parece claro para muitos que um indivíduo perturbado deva ser produto de uma família perturbada. Sob a influência de Freud, médicos e pesquisadores identificaram muitas peculiaridades, como "expectativas contraditórias" e "rejeição encoberta" que, supostamente, caracterizavam famílias de pessoas com esquizofrenia. Esses estudos foram quase sempre retrospectivos; sempre havia falta de controles, e falhavam ao considerar que o tumulto familiar fosse o resultado, e não a causa, da presença de um membro da família esquizofrênico.
     Até o final dos anos 70, os livros ainda acusavam mães "esquizofrênicas" de terem causado a doença de seus filhos. Um número incontável de famílias passaram por vergonha, culpa e estigma, como conseqüência da ampla aceitação de tal teoria. Não há evidências convincentes que suportem a teoria de que o ambiente familiar cause a esquizofrenia, e evidências muito fortes suportam fatores biológicos como a causa principal.
     Conviver com um membro da família que tenha esquizofrenia é extremamente penoso. Muitas famílias se desintegram sob a pressão ou abandonam o parente doente. As famílias requerem tanta empatia e suporte quanto pessoas com esquizofrenia.

Onde no cérebro / Cientistas observando a estrutura do cérebro observaram diferenças nas atividades de certas partes do cérebro em pessoas com esquizofrenia. Essas alterações foram vistas na chamada "região límbica" do cérebro.
     A região límbica inclui um complexo sistema de canais e redes nervosas. Estruturalmente inclui a amígdala e o hipocampo. Essa área é responsável pelas funções básicas do ser humano, como instinto de reprodução, busca de alimento, medo, raiva, prazer, e o estabelecimento de padrões de memória.
     Essas estruturas são visíveis a olho nu—mas vamos dar uma olhada no que acontece a nível celular dentro ou entre os interneurônios do sistema límbico.

Imagine um rádio sintonizado em várias estações ao mesmo tempo / Pesquisas sobre o funcionamento do cérebro mostraram que pessoas com esquizofrenia têm problemas em certos tipos de células cerebrais, denominadas interneurônios inibitórios. Os interneurônios inibitórios neutralizam a ação de outras células nervosas, evitando que respondam a informações excessivas. Assim, evitam que o cérebro seja bombardeado por um número excessivo de informações sensoriais provenientes do ambiente . Os interneurônios normalmente produzem várias substâncias químicas denominadas neurotransmissores.
     O funcionamento anormal desses interneurônios parece causar alterações nas células cerebrais que liberam o neurotransmissor dopamina. Uma disfunção dos sistemas dopaminérgicos há muito é considerada um fator importante na esquizofrenia. Na verdade, drogas como as anfetaminas aumentam os efeitos da dopamina e podem provocar psicoses parecidas com a esquizofrenia.

Mito / Pessoas com esquizofrenia são mentalmente retardadas.
Fato / A esquizofrenia e o retardo mental são condições totalmente diferentes. A esquizofrenia ocorre em pessoas de todos os níveis de inteligência, e geralmente em pessoas talentosas e criativas. A esquizofrenia provoca alguns problemas cognitivos como falta de concentração e dificuldade em abstrair o pensamento. Contudo, não afeta a inteligência em geral.

As ferramentas / Durante muito tempo os cientistas estudaram o funcionamento cerebral através do exame do tecido cerebral após a morte. Mas agora a tecnologia permite que os pesquisadores olhem o cérebro em funcionamento. Para isso usam diferentes ferramentas:

  • O CT-Scan é a Tomografia Computadorizada e envolve a passagem de feixes de raios-x através do organismo. É capaz de fornecer imagens das estruturas do cérebro e é responsável por mostrar aos pesquisadores as diferenças presentes no sistema ventricular, particularmente nos lobos frontais e no hemisfério esquerdo.
  • A MRI é a Imagem por Ressonância Magnética. Produz um quadro tridimensional do cérebro, dando aos pesquisadores informações mais detalhadas do que um CT-Scan.Three other techniques, Functional Magnetic Resonance Imaging, Single Photon Emission Computed Tomography, and Positron Emission Tomography, allow scientists to monitor the blood flow into different regions of the brain.

Três outras técnicas, a Imagem por Ressonância Magnética Funcional, A Tomografia Computadorizada por Emissão de Fóton Único e a Tomografia por Emissão de Pósitrons, permitem que os cientistas monitorem o fluxo sanguíneo dentro de diferentes regiões do cérebro.

_______________________
Return to the top of the article